Extremo Norte

Amapá: a ilha

Parece moda dizer que o Amapá é uma ilha por sua localização geográfica. Sim, somos uma ilha, paradisíaca no meio do mundo!

Há várias vertentes sobre a origem do nome do estado do Amapá, dentre as quais, é oriundo do nheengatu (tupi moderno) para o qual significa “terra que acaba”, ou seja, “ilha”. O nheengatu é uma língua indígena que faz parte do tupi-guarani, com raiz, mais no tupi. Considerado um idioma proveniente da língua geral amazônica, oriunda do tupi dos povos antigos que habitavam a região, propagandeado no século XIX.

A história conta que 1499 Vicente Pizón se deparou com a forte correnteza causada pelo curso d’água de “Santa Maria de La Mar Dulce”, como chamou o imenso volume de água ora avistado. Quatro décadas depois, o espanhol Francisco de Orellana, o primeiro a percorrer desde o Peru até a foz, quando batizou o mais extenso rio do Brasil e maior em volume de água do planeta de Amazonas.

Corredeiras da cachoeira do Firmino

Calçoene/AP

O Amapá é sim uma ilha, cercado pelo gigante rio Amazonas, o Oceano Atlântico, o rio Oiapoque que é divisa da fronteira Brasil-França, através do território ultramarino francês, a Guiana Francesa e o rio Jari, onde está localizado o segundo maior complexo natural de quedas d’água do Brasil, Cachoeiras de Santo Antônio.

Nesse sentido, o isolamento não é total pela ligação com a Guiana Francesa pela ponte Bi-Nacional sobre o rio Oiapoque no município com o nome desse importante rio. O Amapá possui cerca de 40% de suas terras irrigadas pela bacia do rio Amazonas, a capital amapaense, Macapá, é banhada pelo rio Amazonas, também cortada pela Linha do Equador na Latitude Zero, sendo comum seu povo cruzar os hemisférios Norte e Sul, diariamente.

Com cerca de 73% de seu território coberto por florestas intactas, os cursos d’água também são nossas ruas. Aqui todas as direções levam a igarapés, córregos, lagoas, riachos, rios, corredeiras e cachoeiras. Um verdadeiro paraíso natural.

Uma porção de terras no extremo norte da Amazônia brasileira, “descoberta” em 1499 tendo parte de seu território pertencente, a então, Província do Grão Pará (razão do forte traço da culinária paraense) e parte em contestação, por disputas estrangeiras, onde inclusive, já fora uma república francesa, a République du Counani com moeda e selo próprios, mas, após muita disputa por meio de tratados e batalhas, tornou-se, definitivamente em 1900, território brasileiro.

História a parte, o Amapá é um jovem estado com apenas 36/33 anos com 16 municípios, compõe o platô das Guianas, naturalmente belo e preservado, com paisagens cênicas exuberantes, cultura, costumes e tradições pujantes, em pleno desenvolvimento.

Navegando, voando ou atravessando a ponte Bi-Nacional, a Ilha Amapá espera você para cruzar a Linha do Equador e viajar rumo ao hemisfério norte ou sul e conhecer nossas exóticas peculiaridades.

Aqui, todas as direções levam a um curso d’água! Venha mergulhar nessa emoção, você vai se apaixonar!

Por Marly Tavares

Fotos: Abel Neto, Nascimento, Marly Tavares

Acesse o link: https://www.facebook.com/extremonorteamazonia

Siga no Instagram @extremonorteap

Mostrar mais

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo